Itaocara RJ / UCAMPROMINAS – Universidade Candido Mendes

A Universidade Candido Mendes e o Instituto Prominas chegaram a Cidade de Itaocara  – RJ, com cursos de Pós Graduação – Lato Sensu, Aperfeiçoamento, Extensão, Qualificação e Capacitação. Agora você não precisa mais sair de sua cidade para estudar sua Especialização.

Conheça um pouco mais da Cidade de Itaocara – Rio de Janeiro.

Itaocara é um município situado no noroeste do estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Sua população, conforme estimativas do IBGE de 2018, era de 23 247 habitantes.

Devido à luta entre os índios Coroados e Puris, os religiosos Capuchinhos que colonizavam São Fidélis sentiram a necessidade de criar, no local das divergências, uma nova aldeia, que, acolhendo uma das tribos, separasse os litigiantes. Em 1809, o frei Tomás, da cidade de Castelo, chegou às terras escolhidas para a fundação da aldeia, a qual denominou São José de Dom Marcos, em homenagem ao antigo vice-rei Marcos de Noronha e Brito. O nome escolhido, entretanto, não criou raízes no pensamento dos habitantes, que preferiram designar o local de “Itaocara”, termo tupi que significa “ocara de pedras”, através da junção dos termos itá (“pedra”) e okara(“ocara”)[6], em referência ao penhasco que lhe fica fronteiro, na margem oposta do Rio Paraíba do Sul.

No século XIX e início do século XX, como o ocorrido em todo o interior do estado, recebeu significativa mão de obra de imigrantes, sobretudo de origem síria e libanesa.

Localiza-se na margem direita do Rio Paraíba do Sul, estando a uma altitude de sessenta metros. Sua área territorial é de 429,68 km².

Localizada no distrito de Laranjais, possui 630 metros de altitude. É cercada de árvores de grande porte e se encontra como um atrativo turístico para a localidade de Engenho Central. Do seu pico avista-se grande parte do município itaocarense e de outros vizinhos.

O empreendimento da usina hidrelétrica Itaocara, concessão dada ao Consórcio UHE Itaocara, será um grande investimento no noroeste fluminense. O lago do reservatório da represa irá inundar diversos pontos do município e da região. A parte boa é que será replantada em dobro cada árvore desmatada pela gigantesca construção. A previsão era de que as obras começassem no primeiro trimestre de 2016, porém, em junho desse ano, o consórcio anunciou o adiamento do início das obras.