SORTEIO DE BOLSAS DE DESCONTOS – PÓS GRADUAÇÃO EAD

A SORTEIO DE BOLSAS DE DESCONTOS 

Bolsa de Estudos 2A EAD-POS ESTÁ COM UMA

SUPER PROMOÇÃO

INSCREVA-SE GRATUITAMENTE

E CONCORRA A SUPER BOLSAS NOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EAD

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE

INSCREVA-SE E SENDO SORTEADO, FAÇA UM CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO NA UCAMPROMINAS – UMA EMPRESA CONVENIADA E CERTIFICADA PELA UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES 

.

.

:: O resultado dos sorteios poderão ser consultados através de e-mail ou pela central de atendimento

E-MAIL EADRIODEJANEITO@GMAIL.COM 

 

Pós Graduação Univ Candido Mendes – UCAMPROMINAS – RONDÔNIA /RO

rondonia bandeiraA Universidade Cândido Mendes e o Instituto Prominas chegaram ao Estado de Sergipe-  SE, com cursos de Pós Graduação – Lato Sensu (Especialização), Aperfeiçoamento, Extensão, Qualificação e Capacitação. Agora você não precisa mais sair de seu estado para estudar sua Especialização. Não perca esta oportunidade, ligue para nós que indicaremos o representante credenciado mais próximoNo final desta reportagem, escolha a cidade de sua formação.

Rondônia é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado na região Norte e tem como limites os estados do Mato Grosso a leste, Amazonas ao norte, Acre a oeste e a República da Bolívia a oeste e sul. O estado possui 52 municípios e ocupa uma área de 237.576,167 km², equivalente ao território da Romenia e quase cinco vezes maior que a Croácia. Sua capital e município mais populoso é Porto Velho. Além desta, há outras cidades importantes como Ji-Paraná, Ariquemes, Cacoal, Guajará-Mirim, Jaru, Rolim de Moura e Vilhena.

Pertencente à Região Norte do Brasil, é o terceiro estado mais populoso desta macrorregião, com seus 1,7 milhão de habitantes em 2013, sendo superado apenas pelo Pará e Amazonas. No entanto, apenas dois de seus municípios possuem população acima de 100 mil habitantes: Porto Velho, a capital e sua maior cidade com 450 mil habitantes em 2012, e Ji-Paraná, com quase 120 mil habitantes. A população rondoniense é uma das mais diversificadas do Brasil, composta de migrantes oriundos de todas as regiões do país, dentre os quais destacam-se os goianos, paranaenses, paulistas, mineiros, gaúchos, capixabas, baianos, mato grossenses e sergipanos (cuja presença é marcante nas cidades do interior do estado), além de cearenses, maranhenses, amazonenses e acreanos, que fixaram-se na capital, preservando-se ainda os fortes traços amazônicos da população nativa nas cidades banhadas por grandes rios, sobretudo em Porto Velho e Guajará-Mirim, as duas cidades mais antigas do estado.

Rondônia é o estado com a maior porcentagem de evangélicos do Brasil e também o 3º estado mais rico da região Norte, responsável por 11,7% do PIB da região. Apesar de ser um estado jovem (criado em 1982), possui o 3º melhor Índice de Desenvolvimento Humano, o 2º maior PIB per capita, a 2ª menor taxa de mortalidade infantil e a 3ª menor taxa de analfabetismo entre todos os estados das regiões Norte e Nordeste do país, além da 2ª maior teledensidade do Brasil. Entre 2002 e 2010 o estado apresentou 63,9% de crescimento acumulado do PIB, sendo o 2º estado brasileiro que mais cresceu no período. Rondônia possui ainda a menor incidência de pobreza e o melhor desempenho na avaliação do PISA 2009, entre todos os estados das regiões Norte e Nordeste e também a 4ª melhor distribuição de renda de todo o Brasil, e o melhor fora da Região Sul do país.

O relevo é suavemente ondulado; 94% do território encontra-se entre as altitudes de 100 e 600 metros. Madeira, Ji-Paraná, Guaporé e Mamoré são os rios principais. O clima é equatorial e a economia é baseada na pecuária e na agricultura (café,cacau, arroz, mandioca, milho) e no extrativismo da madeira, de minérios e da borracha.

CLIQUE ABAIXO – Conheça abaixo as cidades que atendemos:

01 Alta Floresta d’Oesterondonia mapa
02 Alto Alegre do Parecis
03 Alto Paraíso
04 Alvorada d’Oeste
05 Ariquemes
06 Buritis
07 Cabixi
08 Cacaulândia
09 Cacoal
10 Campo Novo de Rondônia
11 Candeias do Jamari
12 Castanheiras
13 Cerejeiras
14 Chupinguaia
15 Colorado do Oeste
16 Corumbiara
17 Costa Marques
18 Cujubim
19 Espigão d’Oeste
20 Governador Jorge Teixeira
21 Guajará-Mirim
22 Jamari
23 Jaru
24 Ji-Parana
25 Machadinho d’Oeste
26 Ministro Andreazza
27 Mirante da Serra
28 Monte Negro
29 Nova Brasilândia d’Oeste
30 Nova Mamoré
31 Nova União
32 Novo Horizonte do Oeste
33 Ouro Preto do Oeste
34 Parecis
35 Pimenta Bueno
36 Pimenteiras do Oeste
37 Porto Velho
38 Presidente Médici
39 Primavera de Rondônia
40 Rio Crespo
41 Rolim de Moura
42 Santa Luzia d’Oeste
43 São Felipe d’Oeste
44 São Francisco do Guaporé
45 São Miguel do Guaporé
46 Seringueiras
47 Teixeirópolis
48 Theobroma
49 Urupá
50 Vale do Anari
51 Vale do Paraíso
52 Vilhena

Pós Graduação Univ Candido Mendes – UCAM/Prominas – Paraty RJ

A Universidade Cândido Mendes e o Instituto Prominas chegaram a Cidade de Paraty na Costa Verde – RJ, com cursos de Pós Graduação – Lato Sensu (Especialização / 6 Meses / 495hs), Aperfeiçoamento, Extensão, Qualificação e Capacitação Profissional. Agora você não precisa mais sair de sua cidade para estudar sua Especialização. Não perca esta oportunidade, ligue para nós que indicaremos o representante credenciado mais próximo.

Central de Atendimento: (21) 2682-1271 / (21) 8641-1628 / (21) 8112-1604

E-mail: eadriodejaneiro@gmail.com

Conheça um pouco mais da Cidade de Paraty – Rio de Janeiro

Paraty é um município no litoral oeste do estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Abriga tanto o ponto mais meridional (latitude 23º22’08.90″S, Pedra do Índio, na Praia do Cachadaço, em Trindade) quanto o ponto mais ocidental do estado (longitude 44º53’19.93″O, no Parque Nacional da Bocaina, a uma altitude de 1 605 metros). Dista 258 quilômetros da capital do estado, a cidade do Rio de Janeiro.

Em 1667, teve sua emancipação política decretada após várias revoltas populares contra o centralismo que Angra dos Reis exercia sobre a cidade, em especial após a revolta liderada por Domingos Gonçalves de Abreu, tornando-se assim independente.

Junto ao oceano, entre dois rios, Paraty está a uma altitude média de apenas cinco metros. Hoje, é o centro de um município com 930,7 km² com uma população de 33 062 habitantes (densidade demográfica: 35,6 h/km²).

A cidade foi, durante o período colonial brasileiro (1530-1815), sede do mais importante porto exportador de ouro do Brasil. Por estar localizada quase ao nível do mar, a cidade foi projetada levando em conta o fluxo das marés. Como resultado, muitas de suas ruas são periodicamente inundadas pela maré.

O nome vem do termo tupi homônimo que significa “peixe branco” (referindo-se a uma espécie de tainha, a Mugil curema, que abunda na região). Ao longo dos anos, a grafia teria mudado de Pira’ty para Paraty e, finalmente, Parati. Uma hipótese alternativa para a origem do topônimo, no entanto, aponta para as palavras tupis pirá (“peixe”) e ty (“água”). Segundo essa hipótese, “Parati” significaria, então, “água de peixe”. O termo tupi pará ty também pode ser traduzido como “água de mar” ou “rio do mar”, através da junção de pará (“mar”) e ty (“água, rio”), numa referência ao Rio Perequê-Açu que banha a cidade e que deságua no mar.

Parati possui cerca de cinquenta bairros e localidades. Os mais populosos são o Parque da Mangueira, com cerca de 7 000 moradores e Ilha das Cobras, que tem cerca de 2 000 habitantes. Os que concentram maior renda são os de Laranjeiras, Mambucaba e Centro Histórico.

Outros bairros importantes que estão próximos ao Centro são: Chácara, Chácara da Saudade, Bairro de Fátima, Patitiba, Parque de Mangueira, Ilha das Cobras, Parque Ipê, Portão de Ferro I, Portão de Ferro II, Portão de Ferro III, Vila Colonial, Parque Imperial, Caborê, Pontal, Jabaquara, Portal das Artes e Dom Pedro.

Alguns bairros que ficam distantes do Centro: Ponte Branca, Caboclo, Cabral, Portão Vermelho, Pantanal, Parque Verde, Condado, Penha, Corisco, Corisquinho, Coriscão, Patrimônio, Vila Oratório, Trindade, Quilombo Campinho da Independência, Córrego dos Micos, Pedras Azuis, Boa Vista, Várzea do Corumbê, Corumbê, Praia Grande, Barra Grande, Graúna, Colônia, Serraria, Taquari, Sertão do Taquari, São Gonçalo, Tarituba e São Roque.

O longo processo de estagnação vivido por Parati ao longo do século XX manteve, paradoxalmente, o casario colonial, conservado no conjunto conhecido como Centro Histórico, tornando a cidade um dos destinos turísticos mais procurados do país. Pelas ruas de pedra irregular, circulam, a pé – a entrada de veículos é proibida na maior parte do Centro Histórico -, turistas do mundo inteiro, atraídos pela beleza da arquitetura típica do Brasil Colônia. As casas históricas foram requalificadas como pousadas, restaurantes, lojas de artesanato e museus, em meio a apresentações de músicos populares e de estátuas vivas.

As praias de Trindade são uma atração à parte: em fevereiro de 2009, o governo federal delimitou a Praia do Meio, em Trindade, como parte integrante do Parque Nacional da Serra da Bocaina.

Outro aspecto de relevo no setor é a prática de mergulho autônomo. As águas calmas, cristalinas e sempre tépidas da Baía da Ilha Grande são ideais para essa prática, atraindo grande número de praticantes. Várias operadoras de mergulho oferecem seus serviços na cidade e nas marinas, atendendo não apenas às escolas de mergulho, mas também a turistas interessados em conhecer a Parati subaquática.

A rede hoteleira é formada de pequenas pousadas, muitas delas situadas no Centro Histórico.

Servidores da Prefeitura de Paraty,  Governo do Estado, Servidores Federais, Empresas Conveniadas e Professores tem descontos exclusivos. Descontos válidos somente através do telefone:

Ligue e Confira: (21) 2682-1271